Busca:  

Compreendendo a pressão arterial

Todo mundo tem "pressão arterial", ainda bem, pois é ela quem dá força para o sangue percorrer um grande circuito de artérias e veias, e levar a cada pedacinho do nosso corpo nutriente (comida) e oxigênio (ar), que são essenciais para manter a vida. O coração funciona como uma bomba que, quando bate, impulsiona o sangue pelas artérias. A passagem do sangue nas artérias cria pressão devido à resistência que esses vasos oferecem. A "pressão arterial" é a soma desses dois fatores.

A pressão sistólica e a pressão diastólica

A principal função do coração é receber e distribuir o sangue para o corpo inteiro. Para isso, ele realiza dois movimentos diferentes, que nós percebemos e chamamos de batimentos cardíacos. O coração é um órgão oco, muscular, que se contrai e relaxa continuamente. Quando ele está relaxado, o sangue preenche seu interior até ficar completamente cheio, então ele se contrai e joga para as artérias, com grande força, todo o sangue que tinha guardado em seu interior. A força que o coração faz quando se contrai e joga o sangue para as artérias é chamada sístole. Este movimento aumenta a pressão do sangue contra as paredes das artérias e é o que chamamos de pressão máxima ou Pressão Sistólica. Quando o coração está relaxado, sendo preenchido por sangue, temos o que se chama diástole, aqui a pressão é mínima e é conhecida como Pressão Diastólica.

Os valores da pressão arterial

Quando medimos a pressão os valores nos são passados dessa forma: 12 X 8, 14 X 9, sempre um número maior na frente seguido por um menor. O primeiro número - o maior - indica o valor da pressão sistólica e o segundo número - o menor - indica o valor da pressão diastólica.

O valor ideal da pressão arterial

A pressão arterial varia a cada batimento cardíaco, ou seja, se você medir a pressão dez, vinte, cem vezes seguidas, certamente não encontrará muitos valores repetidos, porém, se observar atentamente verá que eles estão sempre muito próximos. Portanto, a pressão arterial não tem valores fixos, mas sim limites de variação. De acordo com vários estudos, os médicos chegaram a conclusão que quando os valores da pressão arterial ultrapassam um determinado valor, se tornam prejudiciais à nossa saúde, pois sobrecarregam o coração e todo o "circuito" por onde passa o sangue. Desta maneira a sua pressão máxima - pressão sistólica - não pode ultrapassar a marca 140 mmHg e a pressão mínima - pressão diastólica - não pode ultrapassar a marca de 90 mmHg. "Pressão Alta" é quando os valores da pressão arterial ultrapassam esses limites. Os especialistas consideram 12 por 8 (o que a rigor deveria ser referido como 120 por 80 mmHg) como o padrão normal para a pressão.

A hipertensão arterial

Hipertensão arterial é o termo médico para pressão alta. Ela faz parte da vida de muita gente, jovens ou velhos. A hipertensão arterial é uma doença bastante comum. Para se ter idéia de sua importância, de cada dez pessoas adultas, aproximadamente duas têm pressão alta. É uma doença crônica, ou seja, que não tem cura e que vai aos poucos, silenciosamente, danificando órgãos importantes do nosso organismo, como: coração, rins e cérebro. Com o tempo, provoca insuficiência cardíaca, angina, infarto, derrame cerebral e insuficiência renal, podendo até levar à morte.

Se a sua pressão for controlada, estas complicações podem ser prevenidas e o funcionamento dos órgãos preservado (e até recuperado!).

ver referências bibliográficas